Digite uma palavra para buscar uma noticia

Fique sabendo

Comer macarrão moderadamente não engorda

Durante muito tempo, o macarrão foi visto como o vilão das dietas de controle de peso. Muitas pessoas pensam que o macarrão é muito calórico e por isso, engorda. A maioria dos especialistas em nutrição e controle de peso concorda que o ganho de peso é decorrente do excesso de calorias que comemos. Isso significa que não importa de onde as calorias extras vêm. Se você ingerir mais calorias do que gasta, vai engordar.
O macarrão é considerado um alimento nutritivo, não contém gordura, colesterol e sódio e é rico em carboidratos complexos, que promovem a liberação mais lenta da energia. A redução no tempo de transformação do carboidrato em açúcar faz que o macarrão seja considerado um alimento com “índice glicêmico” (IG) de baixo a moderado.
O índice glicêmico é a velocidade que o alimento leva para ser absorvido e ser transformado em açúcar no sangue. Dessa forma, o macarrão proporciona sensação de saciedade mais prolongada, o que ajuda no consumo adequado de calorias.
“O ganho de peso não é causado por um alimento em particular. O macarrão, quando consumido em porções adequadas e combinado com legumes, verduras e outros alimentos pouco calóricos, não contribui para o ganho de peso”, ressalta a nutricionista Márcia Terra.
Desta forma, entende-se que nenhum alimento deve ser analisado de forma isolada. O que deve ser levado em conta é a composição da dieta, além da forma de preparar os alimentos.

Dicas para incentivar seu filho a comer bem

Para que uma criança crie hábitos saudáveis em sua alimentação é muito importante que os pais as incentivem a comer grãos, legumes, verduras e frutas, alerta a nutricionista Vanderli Marchiori. "Faça as refeições junto com os seus filhos, estimule o consumo de legumes e frutas e, se possível, prepare os alimentos na companhia deles de forma a mostrar a importância de uma alimentação saudável para toda a vida", afirma ela.
Vanderli chama a atenção para a importância de se consumir carboidratos, principalmente os integrais. "Para um bom desenvolvimento, de 50% a 60% da alimentação da criança deve ser composta por carboidratos. Deve-se dar preferência aos integrais, por serem ricos em fibras, ao serem quebrados, atingem a corrente sanguínea mais lentamente, deixando a criança satisfeita por mais tempo".
Para que uma criança crie hábitos saudáveis em sua alimentação é muito importante que os pais as incentivem a comer grãos, legumes, verduras e frutas, alerta a nutricionista Vanderli Marchiori. "Faça as refeições junto com os seus filhos, estimule o consumo de legumes e frutas e, se possível, prepare os alimentos na companhia deles de forma a mostrar a importância de uma alimentação saudável para toda a vida", afirma ela.
Vanderli chama a atenção para a importância de se consumir carboidratos, principalmente os integrais. "Para um bom desenvolvimento, de 50% a 60% da alimentação da criança deve ser composta por carboidratos. Deve-se dar preferência aos integrais, por serem ricos em fibras, ao serem quebrados, atingem a corrente sanguínea mais lentamente, deixando a criança satisfeita por mais tempo".

A Abima – Associação Brasileira das Indústrias de Massas Alimentícias – também destaca os benefícios nutricionais do macarrão na alimentação infantil. "As refeições com massas alimentícias são um componente chave de muitos padrões alimentares saudáveis em todo o mundo, como a Dieta Mediterrânea, já comprovada cientificamente" diz Claudio Zanão, presidente da Abima, citando uma das resoluções do Consenso Científico para a Saudabilidade da Massa, documento elaborado por 16 renomados especialistas de 13 países.
Vanderli sugere que os pais incluam, no café da manhã e lanches da escola, pães e biscoitos integrais. "Assim, a criança já vai se acostumando aos grãos. O macarrão, também integral, pode ser consumido no almoço e no jantar com molhos menos calóricos e, se possível, incluindo algum tipo de vegetal em seu preparo, por exemplo: macarrão com brócolis e tomate e macarrão a bolognesa com cenoura", diz.
Uma dieta equilibrada também ajuda a reduzir os riscos da obesidade na infância. Segundo pesquisa recente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a obesidade já é uma epidemia no Brasil. Os resultados do estudo mostraram que o sobrepeso atinge mais de 30% das crianças entre 5 e 9 anos de idade, cerca de 20% da população entre 10 e 19 anos e nada menos que 48% das mulheres e 50,1% dos homens acima de 20 anos.
Para a especialista, esta triste realidade se deve, em grande parte, aos hábitos errados de alimentação. "Na correria do dia a dia, muitas famílias brasileiras priorizam os alimentos práticos, como congelados e snacks, a opções mais saudáveis", avalia.

Macarrão é o alimento preferido pelas pessoas

Esqueça comida japonesa, bifes e batatas fritas. Pesquisa realizada em 17 países pela organização Oxfam sobre a forma como as comem hoje revelou que a massa foi eleita o prato favorito. O resultado sugere uma ocidentalização cada vez maior dos cardápios em detrimento dos alimentos tradicionais em cada país.
No Brasil, o três pratos favoritos da população são lasanha, arroz e massa. Apesar de os alimentos nacionais ainda serem populares, como a paella na Espanha, costela de vitela na Alemanha e biryani na Índia, pizza e macarrão são agora as comidas favoritas para a maioria, com mais da metade dos países - 9 de 17 - listando um ou os dois entre suas três comidas favoritas.
A pesquisa foi realizada para a nova campanha da Oxfam, que faz um apelo aos governos e grandes corporações para resolverem o problema do sistema global de alimentos e garantir que todo mundo tenha acesso a comida suficiente. O trabalho mostrou que os preços das comidas são um motivo de preocupação comum e que as dietas das pessoas estão mudando, com muitos não comendo as mesmas coisas que consumiam há dois anos.
No Reino Unido, pratos populares com curry alcançaram apenas o quarto lugar, com os britânicos elegendo o bife como seu prato favorito, seguido por massa e frango. Os Estados Unidos optaram por pizza, enquanto a Austrália foi o único país que escolheu um doce, o chocolate, que ficou em 15º lugar no ranking global.
Apesar da popularidade dos pratos ocidentais, os fast foods não foram a primeira escolha para muitas pessoas, com o KFC ficando em 107º lugar, à frente apenas do McDonald?s, em 113º.

Massas devem ter preço menor em 2012

A redução de PIS/Cofins para a farinha de trigo e os pães não deve ter impacto para o consumidor, mas em relação às massas, deve haver queda dos preços. "Para os pães a prorrogação não melhora [os preços], mas deixa de piorar, e para as massas, a medida deve trazer melhoras", comenta o presidente da Abitrigo, Sérgio Amaral.
Com a medida anunciada pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, no final de 2011, a redução do PIS/Cofins sobre os pães comuns e a farinha de trigo foi prorrogada por mais um ano, passando de 31 de dezembro de 2011 para a mesma data de 2012. "Essa renovação é muito positiva, pois, se o PIS e a Cofins voltassem a ser cobrados, teríamos uma tributação de pouco mais de 9% sobre a farinha de trigo", explica Amaral.
De acordo com o presidente, a volta da tributação acabaria impactando no preço do pãozinho. Teríamos um aumento de 10% no preço dos pãezinhos, acrescenta Amaral.
Para as massas, o PIS/Cofins foi reduzido de 9,25% para zero, válido até 30 de junho de 2012. É uma novidade que deve permitir a redução dos preços das massas, comenta Amaral.
Segundo o presidente da Abima (Associação Brasileira das Indústrias de Massas Alimentícias ), Cláudio Zanão, o consumidor deve sentir os impactos da redução do tributo. Pelos nossos cálculos, haverá uma redução de até 6% no preço do macarrão para o consumidor final, que sentirá este impacto no início de 2012, explica.

Em nosso entendimento, o benefício faz todo sentido porque o macarrão é um dos itens da cesta básica do brasileiro, assim como o arroz e o feijão, que já são desonerados, finaliza Zanão.

Mitos e verdades sobre o macarrão

Conheça aqui alguns mitos e verdades sobre dietas com macarrão.

Mito – Diabético não pode comer arroz e macarrão.

Verdade – Pode sim, desde que esteja na cota de carboidrato da refeição. Num momento em que a obesidade e diabetes aumentam em todo o mundo, as refeições com massas alimentícias e outros alimentos de baixo índice glicêmico podem ajudar a controlar a glicemia e o peso corporal, especialmente em indivíduos com sobrepeso ou obesidade. O índice glicêmico é um dos vários fatores que influenciam a saudabilidade dos alimentos.

Mito - Macarrão engorda e deve ser banido do cardápio.

Verdade – O ganho de peso não é causado por um alimento em particular. O macarrão quando consumido em porções adequadas e combinado com legumes, verduras e outros alimentos pouco calóricos não contribui para o ganho de peso. Ademais, o macarrão pode ser um aliado para quem faz dieta alimentar associada a prática de exercícios, mas cuidado com as calorias do molho. Pesquisas científicas apoiam cada vez mais a importância da dieta como um todo ao invés de alimentos ou nutrientes consumidos individualmente. Muitos ensaios clínicos confirmam que é o excesso de calorias, e não de carboidratos, o responsável pela obesidade. As dietas com sucesso em promover a redução de peso baseiam-se em proporções variáveis, adequadas e saudáveis de carboidratos, gorduras e proteínas. Todos estes três macronutrientes em equilíbrio são essenciais para uma dieta in dividualizada e que pode ser seguida ao longo da vida. Além disso, dietas muito pobres em carboidratos podem não ser seguras a longo prazo.

Mito - Comer macarrão desacelera o metabolismo.

Verdade – O macarrão é um alimento fonte de carboidrato e seu consumo adequado mantém o metabolismo funcionando adequadamente. Os carboidratos são a principal fonte de glicose para o corpo, sendo esta o principal combustível (ou fonte de energia) para o cérebro, células vermelhas sanguíneas (hemoglobinas), sistema nervoso central e outras funções corporais. Além disso, as refeições saudáveis com massas alimentícias são um componente chave de muitos padrões alimentares saudáveis em todo o mundo, como a Dieta Mediterrânea, já comprovada cientificamente. Os padrões alimentares tradicionais conferem mais benefícios para a saúde do que os atuais padrões ocidentais.

Mito - Dieta só de proteína ou só de carboidratos é o segredo para mudar o corpo.

Verdade – Dietas exclusivas, ou só de carboidratos presentes no pão ou só de proteínas (presentes na carne), oferecem maior risco de contrair doenças. As refeições saudáveis com massas alimentícias são uma deliciosa maneira de se incluir ou aumentar o consumo de vegetais, leguminosas e outros alimentos considerados saudáveis e que não são consumidos em quantidades e ou frequência suficiente. Além disso, as massas alimentícias constituem uma alternativa saudável e econômica em quase todas as sociedades. Promover a acessibilidade e o baixo custo das massas alimentícias pode ajudar a combater o preconceito de que alimentos saudáveis são demasiadamente caros.
Massas Viccari Ltda
Rua das Petúnias, 411 - Jd. Guarujá - Cascavel / PR
Fone (45) 3228-2333